2006

O ano de 2006 foi um momento de busca incessante
por conteúdos da modalidade: vídeos na internet, textos, reportagens e tudo aquilo que havia de mais novo. As pessoas marcavam treinos todos os finais de semana e as vezes, até sobrava tempo para treinos noturnos no meio da semana. Como a maioria morava distante uns dos outros, os treinos rotineiros permaneciam mais isolados, cada um treinando próximo ao seus bairros.

Zico batizou o bosque perto de sua casa de “treino Yamakasi”. Homenageando o primeiro grupo de Parkour a praticar e desenvolver movimentos e conceitos da prática, no meio urbano ou natural. O documentário Generation Yamakasi conta uma historia bem parecida com o que o Zico tinha passado na sua infância.

No bosque onde Zico treinava, a busca era entrar em contato com cada elemento existente ali dentro, desde animais, plantas e o clima. A meta era tranquilizar a mente, uma espécie de meditação através dos movimentos de Parkour.

A dedicação daquele trabalho físico e mental unia o conteúdo da Educação Física, colocando em teste a prática do Parkour. Teoria e prática conversavam pelo caminho do meio, o caminho do espírito para se movimentar.

A onda de vídeos começou a surgir. Muitos lançaram vídeos se expondo a críticas e elogios, acompanhados de uma certa ilusão por reconhecimento dos demais. Entre o confortável elogio e as frustrações das criticas agressivas, o mais importante era o autoconhecimento que adquiriu ao praticar. Após 2 anos de treino e algumas imagens registradas, Zico escolheu partes de uma musica e entregou nas mãos de seu amigo Gabriel Miranda (BISÃO) 16 anos, para fazer a montagem do seu primeiro video.

Aguarde as novas edições!